Tod@s pela Inclusão, Diversidade e Equidade

Notícias
Entrevista Brasil Diverso
Artigo publicado originalmente Revista Exame

As 15 melhores empresas do mundo em diversidade e inclusão

Não é só na política que a diversidade anda ocupando o centro dos debates. No cenário corporativo, empresas têm buscado desenvolver iniciativas em gestão de pessoas para fomentar a equidade entre gêneros, etnias, classes sociais e necessidade especiais.

A DiversityInc publica anualmente a lista das 50 melhores empresas no que tange suas práticas de diversidade e inclusão. Na maior parte dos casos, as lideranças se mostram ativas no desenvolvimento dos novos hábitos e cruzamento de culturas dentro da empresas. Veja, a seguir, as 15 empresas com melhor gestão de diversidade e inclusão, segundo a DiversityInc.

 

1. Sodexo

(Divulgação)

118 300 funcionários nos Estados Unidos: A Sodexo conta com uma vice-presidência global de Diversidade e isso por si só justificaria a presença da empresa no ranking. Segundo a publicação, o comprometimento com a causa começa no topo da empresa – 25% dos bônus dos executivos e até 15% dos bônus dos gerentes estão associados a metas ligadas a diversidade. Mais de 55 mil funcionários e gestores já passaram por treinamentos sobre diversidade e inclusão.

2. PwC

(Divulgação/Piti Reali)

18 529 funcionários no mundo: O presidente da PWC, Bob Moritz, é um dos principais motores da diversidade dentro da empresa. Assim como na Sodexo, o Chief Divesity Officer reporta seus resultados diretamente para ele. Quase metade das atividades filantrópicas propostas pela empresa estão relacionadas a organizações não governamentais diversas, como a Inroads (desenvolvimento e profissionalização de jovens desfavorecidos), Ascend (desenvolvimento e profissionalização de asiáticos), a Associação Nacional de Contadores Negros e a ALPFA (desenvolvimento de líderes latinos).

3. Kaiser Permanente

(Wikimedia Commons)

172 979 funcionários nos Estados Unidos: Apesar de lembrar muito uma marca de cerveja nacional, a Kaiser Permanente é uma empresa americana da área de saúde. Sem fins lucrativos, a companhia tem por sua principal carcterística a larga variedade de etnias entre seus funcionários – da base ao topo. Entre os 14 executivos que dirigem a empresa, sâo três negros, dois latinos, dois asiáticos e cinco mulheres.
 4. Ernst & Young

(Getty Images)

167 000 funcionários no mundo: Segundo a publicação, a pressão na Ernst & Young é para que haja uma melhor infraestrutura para o desenvolvimento de talentos de origens desfavorecidas. Um recente programa, intitulado “Liderança Importa” foi conduzido por profissionais mais jovens em parceria com a equipe de diversidade e inclusão. No ano passado, a empresa enfatizou a exposição de grupos pouco representados e as diferenças geracionais.

5. Mastercard

(David Cannon/Getty Images)

6 700 funcionários no mundo: A DiversityInc atribui a chegada da Mastercard no ranking aos esforços da empresa em desenvolver seus talentos e criar um ambiente de trabalho inclusivo. O presidente Ajay Banga criou uma cultura inclusiva, que reconhece a colaboração. No board executivo de 12 membros, são duas mulheres, dois latinos e quatro asiáticos.

 6. Novartis

(Wikimedia Commons)

7 822 funcionários nos Estados Unidos: Pela primeira vez entre as 10 melhores em diversidade, sob o comando de André Wyss, a Novartis tem aumentado a participação das mulheres em cargos de gestão através de uma política de metas de diversidade e inclusão.

7. P&G

(Germano Lüders/EXAME.com)

126 000 funcionários no mundo: Em nove dos últimos 10 anos, a P&G marcou presença entre as empresas mais empenhadas em promover a diversidade. As iniciativas da companhia neste sentido são variadas. No último ano, a iniciativa Flex@Work trouxe por principal objetivo a integração entre vida profissional e pessoal.  A iniciativa “My black is beautiful” deverá atingir mais de um milhão de meninas negras com a campanha Imagine o Futuro.

8. Prudential

(GettyImages)

50 100 funcionários no mundo: Trimestralmente, o presidente John Strangfeld se reúne com seus grupos de diversidade – os executivos são avaliados e recompensados pelo cumprimento de métricas de inclusão. O próprio Strangfeld guarda uma cadeira no conselho de diversidade da companhia. A empresa trabalha diretamente com o apoio à veteranos, além de um programa de patrocínio de bolsas de estudos para  militares que querem uma transição para o mercado de trabalho civil. No board executivo, são três mulheres, dois negros um latino e um asiático – no total de 13 membros.

9. Accenture

(Wikicommons)

261 000 funcionários no mundo: Pela primeira vez entre as 10 melhores do ranking, a Accenture tem feitos avanços significativos, segundo a DiversityInc, no seu desenvolvimento de talentos de minorias – que inclui pessoas com necessidades especiais, além de mulheres e a comunidade LGBT. Há planos de sucessão com métricas voltadas para o atendimento desse público, além de treinamentos especiais para as equipes de alto potencial, em especial para mulheres.

10. Johnson & Johnson

(Getty Images)

128 000 funcionários no mundo: Na Johnson & Johnson, todos os fornecedores e empresas terceirizadas têm de provar seus investimentos na promoção da diversidade – o que inclui fornecedores de empresas de propriedade de veteranos ou membros da comunidade LGBT. Dos 13 executivos em cargos diretivos, há três mulheres, três negros e um latino.

11. Deloitte

(Divulgação)

200 000 funcionários no mundo: Na Deloitte, o foco é no desenvolvimento de talentos. Em 2012, a Deloitte trouxe uma grande expansão para seu programa de inclusão, antes exclusivo das mulheres. Agora, latinos, negros, gays, ex-militares e pessoas com necessidades especiais estão no alvo da companhia.
12. Merck
83 000 funcionários no mundo: Na Merck, veterana da lista há 11 anos, os planos de sucessão também incluem esforços específicos para negros, latinos, asiáticos e também mulheres. Há grupos abertos a todos os funcionários sobre diversas temáticas, como pessoas com necessidades especiais, gays e religiosos. A companhia oferece mentoria e educação financeira também para os fornecedores.

13. AT&T

(Toby Jorrin/Getty Images)

241 130 funcionários no mundo: Segundo a DiversityInc, o presidente da Randall Stephenson tem sido um modelo nas temáticas relacionadas a diversidade para a comunidade empresarial. Nos últimos dois anos, a AT&T reforçou seu programa de mentoring, criando relações de cruzamento cultural. Há grupos de debate disponíveis a todos os funcionários, incluindo os trabalhadores horistas. AT&T também possui um evento anual para os líderes desses grupos, com a presença dos seus altos executivos, incluindo Stephenson.

14. Abbott

(Getty Images)

91 000 funcionários no mundo: Na Abbott, um quarto das remunerações variáveis dos executivos está diretamente atrelado aos objetivos de diversidade e inclusão. A empresa procura provocar o debate, fazendo programas de mentoria com cruzamentos culturais. Mais de 40% dos pares do ano passado foram de duplas com poucas afinidades e os mentores receberam conscientização cultural. Os mais velhos também estão no radar: a empresa oferece um programa aposentadoria chamado Freedom to Work, que permitem aos empregados de 55 anos ou mais, com 10 anos de serviço, para reduzir horas ou responsabilidades sem perda de benefícios.

15. Cummins

(Divulgação)

44 000 funcionários no mundo: Na Cummins, o presidente da companhia é o mesmo à frente do conselho executivo de diversidade. Lá há promotores internos oficiais para identificar e desenvolver os potenciais de grupos minoritários. Os grupos de mentores são avaliados e têm metas a cumprir, de forma a quantificar o sucesso das práticas.

Você também pode gostar

Dando o exemplo

Marca anuncia que não vai mais contratar modelos brancas

Medida adotada pela MOGA quer colocar em debate o racismo da indústria da moda A MOGA é uma marca...

Leia mais

Artigos

A Copa da Diversidade

Mauricio Pestana 04/07/18 – 19h12 – Atualizado em 04/07/18 – 20h00 Uma das frases que costuma encerrar meus depoimentos...

Leia mais

Comentários

comentários