Tod@s pela Inclusão, Diversidade e Equidade

Dando o exemplo
Entrevista Hamalli Alcantara

Marca anuncia que não vai mais contratar modelos brancas

Medida adotada pela MOGA quer colocar em debate o racismo da indústria da moda

A MOGA é uma marca australiana especializada em lenços de cabeça e xales que tem em seu DNA o comprometimento com questões sociais – tanto que um dos seus itens mais vendidos é um tecido com as cores da bandeira do arco-íris feito em comemoração à legalização do casamento homoafetivo na Austrália.

Agora, a empresa tomou uma decisão impactante: ela não irá mais contratar modelos brancas para suas campanhas. “Fiz esta regra para ser o ponto inicial de um debate que acho muito importante: raça e sua representação na indústria da moda”, explica Azahn Munas, fundador da marca, para a Teen Vogue. “Quero explorar a noção do ‘poder branco’ na moda e porque tantas pessoas estão perpetuando este conceito – conscientemente ou não. Embora ela seja excludente a primeira vista, é em nome da inclusividade. Queremos alcançar pessoas que não são representadas na indústria.”

A nova regra foi divulgada durante a uma ação da MOGA que procura modelos para o próximo ano. Podem participar mulheres de todo o mundo, com ou sem experiência prévia, de todos os tipos de corpos e todas as raças – só não podem ser brancas caucasianas. “Desculpa, meninas, achamos vocês absolutamente lindas mas, infelizmente, essa não é para vocês”, diz o texto.

Para explicar melhor este posicionamento, a marca publicou um vídeo, feito com bonecas em stop motion (em inglês e sem legendas). “É importante falar sobre assuntos que não estamos confortáveis, e raça é uma delas. E quanto mais falamos destes assuntos como sociedade, mais perto chegamos de entender a complexidade deles e avançar para nos tornamos mais respeitosos e inclusivos.”

Will YOU be the next face of our fierce and fabulous movement?

Posted by MOGA on Sunday, July 15, 2018

 

Você também pode gostar

Dando o exemplo

Brasil Diverso – Theo Van der Loo

Veja um trecho da entrevista com Theo Van der Loo, CEO da Bayer   Você também pode gostar ArtigosBrasil...

Leia mais

Notícias

Empresas com funcionários de raças e gêneros variados têm receita maior

JULIANA GONTIJO PUBLICADO EM 05/06/18 Apostar na diversidade do quadro de funcionários pode ser um bom negócio para as...

Leia mais

Comentários

comentários