Tod@s pela Inclusão, Diversidade e Equidade

Boas Práticas
Entrevista Brasil Diverso
Artigo publicado originalmente Por Daniela Damasceno - Money Report

Só 4,5% dos cargos estratégicos no Brasil são ocupados por negros

A inclusão de raça e gênero no ambiente corporativo ganhará novo impulso a partir do dia 16 de maio, quando será lançada em São Paulo a plataforma digital Brasil Diverso. A ideia do projeto é debater e apresentar caminhos para o aumento da diversidade nas empresas. O cenário é dramático. Segundo o cartunista e escritor Maurício Pestana, idealizador do projeto, só 4,5% dos cargos estratégicos do Brasil são ocupados por negros, que representam mais de 50% da população.

Como surgiu a ideia do lançamento da Plataforma Brasil Diverso?

Começou quando eu era Secretário da Igualdade Racial de São Paulo e criei o projeto São Paulo Diverso, que era uma espécie de Fórum que discutia a inserção de negros em cargos estratégicos no mercado de trabalho. Quando terminou o meu mandato, o projeto foi encerrado também. Então, fui procurado por um grupo de empresários para levar a proposta para a iniciativa privada. Foi assim que desenvolvi a plataforma.

Como a plataforma funcionará?

No site, as empresas vão encontrar informações sobre como trabalhar ações afirmativas e a inclusão de negros em cargos estratégicos. Contaremos com artigos sobre o tema e bate-papos com o público para esclarecer dúvidas sobre diferenças salariais e a legislação do país. Além disso, as empresas que aplicarem ações afirmativas também terão espaço para divulgar seus trabalhos. O modelo é inédito no Brasil.

O que o projeto fará, efetivamente, para o aumento das ações afirmativas?

O mais importante na hora de aplicar uma ação afirmativa é mostrar as razões para fazer isso. A questão racial ainda está camuflada no Brasil e a plataforma irá combater esse cenário.

Serão debatidas outras políticas afirmativas além da racial?

Vamos priorizar, em um primeiro momento, o debate sobre questões raciais e de gênero, depois ampliaremos um pouco mais. Vamos focar nestas duas áreas por serem as mais difíceis de se trabalhar nas empresas do Brasil.

Uma pesquisa da revista americana Fortune apontou que a diversidade nas 500 maiores empresas americanas diminuiu. Atualmente, apenas quatro negros ocupam cargos de CEOs nas principais companhias do país. O número mais alto foi em 2007, com sete negros nestas posições. 

Concordo que é triste a realidade nos Estados Unidos. Mas, ao mesmo tempo, é preciso lembrar que a população negra do país corresponde a 13% do total.  É mais triste ainda olhar para o Brasil. Aqui, mais de 50% dos cidadãos são negros, mas eles estão em apenas 4,5% dos cargos de liderança.

Você também pode gostar

Notícias

Empresas com funcionários de raças e gêneros variados têm receita maior

JULIANA GONTIJO PUBLICADO EM 05/06/18 Apostar na diversidade do quadro de funcionários pode ser um bom negócio para as...

Leia mais

Artigos

Empoderamento das mulheres nas grandes corporações

Uma das maiores iniciativas neste sentido no plano global tem sido o acordo de compromissos encabeçado pela ONU Mulheres...

Leia mais

Comentários

comentários